Segurança da informação e ferramenta Saint Suit

Segurança da informação: entenda como automatizar esse processo vital em sua empresa

Somente no primeiro trimestre de 2018, o número de ciberataques chegou a quase 57 milhões no Brasil. Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pelo DFNDR Lab e divulgada em seu Relatório de Segurança Digital. Há um ano, um ataque dessa origem ocorreu em escala mundial, atingindo 74 países. Na ocasião, sites corporativos e de órgãos públicos saíram do ar ou tiveram seus dados sequestrados (prática chamada de ransomware). Esses fatos chamaram a atenção para a necessidade de métodos mais eficientes de segurança da informação.

A proteção deve ser tão permanente quanto as ameaças

Os números mostrados acima apontam para uma realidade preocupante: a grande vulnerabilidade de sistemas e redes em todo o mundo. Seja para roubar dados pessoais, copiar bancos de dados, espionar, chantagear ou, simplesmente, danificar equipamentos, os golpes digitais passaram a ser constantes.

Embora as empresas atuem em ações pontuais para garantir a integridade de suas informações, os protocolos precisam ter um caráter de verificação e atualização contínuo. Isso porque as ações de invasão são permanentemente modificadas e renovadas, de acordo com os novos bloqueios desenvolvidos.

Boas práticas na utilização dos recursos de TI são maneiras de evitar violações mais comuns. Definir políticas de proteção de dados e instruir os funcionários é uma medida básica e fundamental para reduzir riscos. Fazer backups continuamente e armazená-los de forma offline é importante. Manter as versões atualizadas de todos os softwares sempre em dia também é sempre recomendado. Mas, e no que diz respeito a incursões mais elaboradas e avançadas?

Para a maioria das empresas, manter profissionais especializados que realizem a função de monitoramento ininterrupto é financeiramente inviável. Sem contar que o tempo que se leva para identificar brechas e corrigi-las pode ser insuficiente considerando a rapidez com que os ataques evoluem.

Então, como garantir o cuidado com os dados sem dispor de alto investimento?

A funcionalidade de uma ferramenta de segurança da informação

A resposta para a pergunta anterior é: utilizar uma ferramenta de qualidade que consiga unir resultados e bom custo-benefício.

Um exemplo de solução de cibersegurança é a Saint Security Suit. Com ela, um gerenciamento integrado é feito por meio de análises permanentes de vulnerabilidade, testes de invasão e possíveis falhas de sistema. Periodicamente, ocorre uma varredura em toda a rede e os parâmetros de busca são configurados facilmente, visando a atender a objetivos específicos.

A Saint consegue apontar para brechas de entrada, permitindo ações exatas e imediatas de correção. Além disso, previne e reconhece novas vulnerabilidades que, até então, não haviam sido identificadas. Outro aspecto relevante é a escalabilidade da aplicação, eficiente em um número pequeno de dispositivos até uma escala bem maior. Ainda entre as vantagens desse mecanismo, estão a facilidade de implementação e configuração remota.

“A ideia da Saint é atender às necessidades de empresas de todos os portes com uma solução inovadora e eficiente, assegurando a proteção da rede e dos sistemas a um custo bastante competitivo”, explica André Bellafronte, head de Segurança digital na EunaRede, parceira exclusiva e certificada para os produtos e serviços Saint no Brasil. Ainda segundo ele, “softwares de segurança integrada não apenas automatizam os protocolos de defesa. Eles também fornecem dados e análises essenciais para planejamento e decisões táticas que garantirão a integridade de dados.”

Automatização como economia e proteção

Tornar automáticos os procedimentos de defesa pode ser uma saída econômica e com eficiência elevada na gestão de riscos. Ao contar com o suporte de uma ferramenta que ofereça recursos adequados, administrar esse trabalho se torna intuitivo e descomplicado.

É preciso lembrar que as informações são o ativo mais importante de qualquer organização. Por isso, garantir que estejam o tempo todo protegidas deve ser prioridade zero. A segurança da informação não se trata apenas de uma área dentro do setor de TI. Ela deve ser encarada como risco de negócio, já que os prejuízos decorrentes do comprometimento de dados podem ser incalculáveis e irreversíveis.

Para saber como reduzir a vulnerabilidade de sua rede, entre em contato e proteja a estrutura de dados de sua empresa.